Forno Santo conquista certificação internacional sobre tradição napolitana

Empresa de Bragança Paulista é a primeira da América Latina a receber selo de certificação da AVPN que atesta condições para produção do verdadeiro forno para pizza napolitana

 

Uma história de família, que une o sonho de dois irmãos brasileiros a uma das tradições mais importantes da Itália. Foi essa paixão que fez com que a Forno Santo conseguisse a certificação da AVPN (Associazione Verace Pizza Napoletana), que atesta as condições para a produção da verdadeira pizza napolitana, e se tornasse a única fabricante de fornos com esse selo em toda a América Latina. Com esse reconhecimento, o Brasil agora integra o grupo de apenas nove fabricantes certificados no mundo, ao lado de empresas internacionais como Acunto Napoli, Stefano Ferrara, Marra Forni e Marana Forni.

A pizza napolitana tem se tornado cada vez mais comum nas mesas de pizzarias e restaurantes brasileiros. Consumida individualmente, ela leva os amantes do equilíbrio perfeito entre massa, recheio e temperatura correta direto para as suas origens.

Além das exigências sobre os ingredientes, fermentação e técnicas para a abertura da massa, que caracterizam a pizza napolitana, a forma com que ela é assada também faz parte da tradição. Por isso, os fabricantes de fornos que conquistam o selo da AVPN, como a Forno Santo, passam por uma rigorosa análise sobre suas concepções técnicas, capacidade térmica e materiais utilizados.

Entre os principais pontos que fazem um forno estar dentro das especificações é a temperatura que ele é capaz de manter para que a pizza napolitana saia perfeita. Em geral, ele precisa estar sempre entre 430 e 480 °C, média que os fornos da Forno Santo conseguem manter por igual, durante longas horas e ser capaz de assar corretamente a pizza entre 60 a 90 segundos como manda a centenária tradição. “É uma pizza especial que para ser finalizada de maneira saborosa, precisa ser assada corretamente e muitos fatores devem ser levados em consideração dentro de um forno para isso. Foi a partir desta necessidade que nós começamos os estudos, a produção e hoje conseguimos esse reconhecimento tão valioso”, conta o sócio e um dos idealizadores da Forno Santo, Márcio Bernardes.

Entusiasta do assunto e acompanhando de perto cada detalhe, Márcio lembra sempre da família ao contar a história da empresa. “Trabalho ao lado do meu irmão, Alexandre Bernardes e antes de nos mudarmos para o atual galpão, em Bragança Paulista, passamos centenas de horas criando estratégias inovadoras debruçados nos fornos que eram feitos na chácara da nossa mãe. Também reconheço muito todo o apoio que sempre tive da minha ex-mulher Marina Linhares, que acompanhou toda essa história desde o começo”, conta ele.

 

Outras fornadas

Com a consolidação no mercado de fornos napolitanos, a Forno Santo também tem se especializado na construção dos fornos clássicos italianos, recomendados para as chamadas pizzas clássicas com aproximadamente 35 cm, 8 pedaços e cobertura mais generosa, assadas em fornos com temperatura média de 350ºC. “É importante saber que tipo de produto você vai colocar dentro do forno. O Forno Santo clássico italiano é ideal para a pizza clássica, que a gente consome na maior parte do Brasil”, complementa Márcio.

 

A AVPN

A Associazione Verace Pizza Napoletana (AVPN), ou Associação da Verdadeira Pizza Napolitana, foi fundada em 1984, com o patrocínio da Câmara de Comércio, Indústria e Artesanato de Nápoles. Os antigos mestres da pizza napolitana, dada a difusão de grandes cadeias de fast food, bem como a enorme difusão e uso, por vezes indevido, do nome “verdadeira pizza napolitana”, decidiram constituir uma associação completa com normas disciplinares e de execução para a defesa e valorização da pizza, produzida e processada de acordo com as antigas tradições e costumes napolitanos.



×